Ansiedade

A ansiedade é uma resposta que o nosso corpo produz para nos proteger. Por exemplo, se estou em uma situação de perigo ou de ameaça meu corpo emite naturalmente a ansiedade para que eu possa ter uma ação de fuga e me proteger. Se estou atravessando a rua e vem um carro na minha direção, eu pulo para trás, meu coração acelera, minha pupila dilata, dá fraqueza nas pernas, eu começo a tremer, pois o meu corpo dá uma descarga de adrenalina no meu organismo que faz com que eu me preparasse para uma reação de fuga, isso é natural, conforme o perigo passa, eu vejo que nada aconteceu e vou voltando ao normal.

Ao longo do dia o nosso corpo pode passar por estas situações várias vezes, mas logo passa e isso é saudável. O problema ocorre quando essas reações que servem para me proteger começam a se repetir várias vezes em várias áreas da minha vida. Por exemplo: Se eu tenho um problema com o meu chefe e não estou conseguindo resolver razoavelmente essa situação, a partir do momento que eu tenho que acordar para ir trabalhar, eu já começo a ter reações tipo: suor frio na mão, batedeira no coração, respiração ofegante, dor de barriga, fraqueza nas pernas. O que está acontecendo é que meu corpo está interpretando como perigo algo que não está de fato ameaçando a minha vida, mas que eu não consigo resolver, isso configura o que chamamos de Transtorno de Ansiedade Generalizada – TAG.

Essa ansiedade que é para me proteger começa a invadir todas as áreas da minha vida, um momento com os amigos, quando vou ao cinema, trabalho, academia, eu começo a apresentar esses sintomas físicos sem motivo, muitas vezes sem desencadeante. Para falar que a pessoa sofre de TAG essa pessoa precisa ter essa ansiedade e preocupações excessivas, por pelo menos seis meses a maior parte do tempo e tem que vir acompanhada de pelo menos três desses sintomas:

– Inquietação;

– Dificuldade de concentração;

– Irritabilidade;

– Tensão muscular;

– Dificuldades com o sono;

– Sensação de falta de ar;

– Fadiga;

– Tremores;

– Palpitações;

– Sensação de “branco” na mente.

Três desses sintomas associados a ansiedade excessiva, pode-se diagnosticar o TAG e neste caso é necessário o acompanhamento psiquiátrico e psicológico.

Alguns sintomas como diarreia, sudorese, náuseas, micção frequente, entre outros podem estar associados demonstrando a potencialidade do quadro.

Conforme conceito da APA (American Psychiatric Association, 2000) contida no DSM IV, TAG é considerado um transtorno de ansiedade caracterizado por ansiedade e preocupação excessivas e crônicas relacionadas a diversas situações e atividades.

Pode-se complementar que estas preocupações são generalizadas e demasiadas se comparadas com as reações de demais pessoas nas mesmas situações.

DIAGNÓSTICO

Para que o diagnóstico seja fechado é necessário que o indivíduo preencha alguns critérios conforme DSM V:

  • Preocupação excessiva, crônica e invasiva;
  • Estar presente na maioria dos dias há pelo menos 6 meses;
  • As preocupações são difíceis de controlar;
  • Deve estar associada há pelo menos 3 sintomas de ansiedade;
  • Deve causar sofrimento clínico significativo;
  • Aparente prejuízo no funcionamento social ou ocupacional.

** Outras especificações, consulte o DSM V.

TRATAMENTOS

A medicação e a psicoterapia devem estar associadas para um melhor resultado terapêutico.

Cabe ao psicoterapeuta auxiliar o paciente a desenvolver habilidades para enfrentar os sintomas da doença em especial sua ansiedade antecipatória e visão negativa e catastrófica das situações.

Vanessa Reis

Psicóloga Clínica, Terapeuta Cognitiva Comportamental, Hipnoterapeuta.

Deixe um comentário